Ads Top

Moonlight um filme à luz da representatividade

Imagem do The Huffington Post
Com o Oscar de "Melhor Filme", Moonlight é a primeira obra cinematográfica LGBT a levar essa estatueta para casa.
Sinopse:
      O narcotraficante Juan encontra Chiron, uma criança retraída conhecida pelo apelido de "Little", escondendo-se de um bando de garotos da vizinhança. Juan permite que Chiron passe a noite com ele e sua namorada Teresa  antes de devolvê-lo à sua emocionalmente abusiva mãe Paula no dia seguinte.
      Em resumo, o filme apresenta três etapas na vida de Chiron, o personagem principal, explorando as dificuldades que ele enfrenta no processo de reconhecimento de sua própria identidade e sexualidade, e o abuso físico e emocional que recebe ao longo destas transformações. - Wikipedia
CONFIRA O TRAILER CLICANDO AQUI!

Avaliação e Crítica: 

**Para avaliar Moonlight, vou usar do mesmo esquema que desenvolvi para avaliar livros, tratando por meio de tópicos, das peculiaridades de cada obra.**

ROTEIRO:

      Podemos concordar que Moonlight tem uma história fascinante, com altos e baixos que acontecem muito rapidamente, temas muito polêmicos tratados de uma forma intensa  e  uma quantidade significativa de drama. O problema aqui, aparece somente em alguns pontos do desenvolvimento da trama criada por Barry Jenkins. 
            O filme é dividido em três partes (1-Little: Conta a história de Chiron quando criança. /2)-Chiron: Conta a história de Chiron quando adolescente. /3-Black: Conta a história de Chiron quando adulto.) o que ajuda na construção da identidade do personagem principal e dos principais coadjuvantes. O lado negativo dessa forma de desenvolvimento da trama é a interrupção da história de alguns personagens interessantes como Juan.

DIREÇÃO E FOTOGRAFIA:


           Dirigido por Barry Jenkins e com cinematografia de James Laxton, Moonlight tem um ótimo trabalho em ambas as áreas. Com enquadramentos muito bem posicionados, planos fechados em big close ups ou  frontais 3/4, além de travellings maravilhosos, o filme é um ótimo exemplo de direção de qualidade. Além disso, os atores foram muito bem direcionados sobre o que fazer e como fazer de forma que temos cenas que passam a ser mais impactantes com uma simples frase como "Well, I'm your mama ain't I?".
         A fotografia do filme também impressiona, variando entre cenas claras e com cores suaves e cenas escuras com muito contraste, James Laxton fez um trabalho visual muito bom.




 TRILHA SONORA:

Resultado de imagem para moonlight movie  gifs juan         Moonlight tem trilha sonora original de Nicholas Britell que conseguiu conciliar a música com a história de um jeito fascinante. A música oscila de acordo com as fases do protagonista e os momentos que ele vive, de forma que a todas as partes se complementem.
        Embora seja uma trilha sonora inesquecível, Moonlight ganha 8 nessa categoria pelo simples fato de não impressionar e emocionar pela música assim como La La Land fez esse ano e outros filmes não-musicais já fizeram.


PERSONAGENS:

Atores negros não precisam interpretar escravos para ganhar o Oscar
      Somente com personagens negros, Moonlight mostrou que "Atores negros não precisam interpretar escravos para ganhar o Oscar" (palavras do próprio diretor do filme).
           Os personagens que rodeiam o protagonista (Teresa, Juan, Paula, Kevin) são muito divergentes, mas todos trazem uma áurea diferente à vida do personagem principal. Sua mãe, Paula, viciada em drogas traz à vida de Chiron uma conturbação intensa e preocupação constante, desde pequeno.  Já Teresa, é quem de fato representa uma figura materna, com seus cuidados pelo menino e carinho incondicional. Enquanto isso, Kevin desperta o amor e a raiva do garoto, e Juan, a figura paterna que o menino não teve.
             Embora tenha reclamado da falta de desenvolvimento das histórias dos coadjuvantes na trama, devo admitir que Moonlight é um show de atuação de qualidade. Exemplos claros disso são Janelle Monáe, Mahershala Ali (ganhador do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante) e Naomie Harris (indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante - perdeu para a Viola Davis, o que é justo hahaha 😅).

CONCLUSÃO:

         Com nota 9.4, e não concordando com a Academia, Moonlight fica sim, atrás de La La Land (leia a crítica aqui) por 4 décimos. Mas, apenas por quesitos técnicos, uma vez que ambos os filmes são um tremendo entretenimento, emocionam bastante e levam cultura aos seus espectadores. 
          Moonlight conseguiu ainda, provar que sim, negros tem talento e ganham o Oscar e que quanto mais representatividade num filme, melhor, sendo a primeira obra LGBT a levar esta estatueta para casa.
        O filme trás ainda uma mensagem muito importante de que isso é só o começo. Precisamos combater a LGBTfobia, o racismo e o machismo (que também é mostrado no filme). Afinal, não é só porque Moonlight ganhou o Oscar de Melhor Filme que o preconceito na indústria cinematográfica (e na sociedade) acabou.



E você? Já viu? Tem vontade de assistir Moonlight? O que achou? Conta para a gente aqui nos comentários! 

5 comentários:

  1. Olá
    Eu nunca vejo os filmes que são indicado ao Oscar, e esse ano o não foi diferente kkjo. Dos indicados eu só tinha visto Zootopia e achei bem legal. Pretendo ver esse daí é também Lá Lá Land pois tem otimos trailers. Adorei as suas críticas e até mais ver
    P.S. Senti vergonha alheia naquela gafe do Oscar
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Assisti a esse filme recentemente e apesar de ter achado o desfecho um pouco abrupto gostei muito do filme, que fala de assuntos bastante relevantes e tem excelentes interpretações. Uma boa dica pra quem gosta de filmes que tem uma boa dose de realidade.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Ual que explicação a sua.
    Falou muito bem de todos os detalhes, gostei bastante.
    Ainda não vi o filme, mas veria.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.